Femama Batalhadoras. Todo dia uma vitória contra o câncer de mama. Marlí Marcon

Dicas

Dança e o tratamento para câncer de mama

05/01/2018 - O diagnóstico de um câncer de mama, apesar dos aspectos negativos que qualquer doença provoca, pode ser um momento de descobertas sobre o próprio corpo, compreensão de limites e emoções. Todas as sensações estarão muito mais afloradas e os sentimentos a respeito da vida muito mais intensos. E, para enfrentar tudo isso da melhor maneira possível, atividades prazerosas são ótimas ferramentas para nutrir o entusiasmo pelo corpo e pela vida. 

A dança é uma excelente escolha, sendo apontada por algumas pesquisas como uma importante aliada no tratamento de várias doenças, pois além de movimentar todos os músculos do corpo, ela é capaz de trazer relaxamento, diminuir o estresse e a ansiedade, aumentando a sensação de bem-estar. Também é capaz de melhorar o humor, já que ajuda na liberação de substâncias como a endorfina e a serotonina. 

Dançar, mexer o corpo, escutar o ritmo de um som promove o autoconhecimento sobre os próprios movimentos, melhora consideravelmente a saúde física e mental. É uma oportunidade de expressar corporalmente nossos sentimentos e emoções de forma criativa e inovadora.

É comum que as mudanças que o câncer de mama pode provocar no corpo, tanto na aparência quanto no seu funcionamento, impactem na autoestima, na forma de vivenciar os relacionamentos, na qualidade da vida sexual e social das mulheres. Neste contexto, a dança surge como uma ferramenta para desenhar uma nova percepção sobre o próprio corpo, se revertendo em autoconhecimento e aceitação. Novas potencialidades que as pacientes, muitas vezes, nem sabiam que possuíam, podem ser descobertas, a partir de uma nova consciência corporal que a modalidade propicia. 

Os benefícios para a saúde física também são inúmeros: melhora a resistência, firma a musculatura, auxilia na circulação e na respiração. Além disso, a dança também é uma atividade que promove a interação social, o que impacta fortemente na qualidade de vida, pois ao ampliar o círculo de convívio, se criam novos laços de amizade e comunicação, auxiliando no resgate da autoconfiança e da alegria de viver. 

Outro aspecto importante da dança é que, devido à grande variedade de ritmos e tipos de aulas disponíveis, certamente você vai encontrar a que melhor se encaixe às suas preferências, condições de saúde ou limitações físicas. Converse com seu médico para receber a melhor indicação para o seu caso. Dance!


Compartilhe: