Femama Batalhadoras. Todo dia uma vitória contra o câncer de mama. Marlí Marcon

Batalhadoras

Taline Libanio

26/10/2017 - Meu nome é Taline. Tenho 33 anos e sou a prova viva de que o câncer não escolhe idade, sexo, raça ou classe social. Minha família é "herdeira" de uma mutação genética no gene BRCA1 e no final de 2015, com 31 anos, descobri que também era acometida pela mutação e que tinha 87% de chances de desenvolver o câncer de mama até meus 35 anos. 

Tomei então, a decisão mais difícil da minha vida e optei por uma cirurgia profilática. Deixei para trás o sonho de amamentar, fui criticada por muitas pessoas, e para prevenir a doença realizei uma mastectomia bilateral com reconstrução imediata. Mas 20 dias após minha cirurgia, em janeiro de 2016, recebi a notícia de que a biópsia realizada nas mamas havia identificado um tumor invasivo e muito agressivo na mama esquerda.

Precisei passar por mais quatro cirurgias depois disso, foram cinco drenos, dezenas de picadas e centenas de comprimidos. Foi necessário o esvaziamento axilar do lado esquerdo e a retirada da prótese. Fiquei por um ano e dois meses sem minha mama. 

Em março deste ano fiz minha última cirurgia para essa reconstrução. Hoje, estou de alta, curada com a graça de Deus! Depois disso tudo, posso assegurar que renasci. Aprendi com o câncer a dar mais valor nas pessoas que me amam, nas coisas simples e essenciais da vida e a nunca desistir. Venci o câncer e ganhei uma nova vida, mais cheia de coragem, mais feliz!


Compartilhe: